segunda-feira, março 14, 2011

Feel the empty space

De joelhos em frente á uma pequena gaveta era onde estava. Naquela gaveta eu encontraria papeis, fotos, histórias, momentos e até mesmo palavras soltas que ficaram guardadas por todo o verão. Com um sentimento de euforia e talvez até curiosidade eu passo a pegar todos capítulos de uma velha história, atenciosamente leio cada linha de todos os capítulos, ao chegar ao penúltimo sinto um enorme vazio uma sensação estranha de uma história inacabada, de um final sem conclusão, então de uma forma um tanto insana passei a procurar a outra folha a que diria o final, aquela que responderia minhas perguntas e apagaria minhas duvidas, mas a gaveta já estava vazia então em uma fração de segundos pensei que poderia existir um fundo falso ali e quem sabe o final só estava escondido. Passei a ouvir vozes umas diziam apenas que não encontraria nada ali, que então abandonasse todas as duvidas fechasse aquela gaveta para sempre, mas outra afirmava existir um fundo falso ali e que ali existiria muitas coisas ainda, que então aquela história não terminava e que ainda tinha algo por vir que eu não deveria desistir . Fui então dominada pelo cansaço e pelas incertezas não havia desistido de procurar as respostas para minhas perguntas mas estava um tanto cansada para continuar a procurar aquela conclusão, decidi então esperar o tempo ou apenas tentar outro dia, o dia que talvez nunca chegue.

5 comentários:

Danni Cristina disse...

Você se baseou numa suposta história inacabada pra falar também da vida, uma forma de mostrar que muitas vezes desistimos ou nos sentimos incapazes demais...

tenho um texto sobre os zumbis da vida no meu blog e fala sobre aqueles que não vivem direito ;D

http://cerejas-envenenadas.blogspot.com/

Everton Dias disse...

vc tem aptidao para escrever, quem derá eu fosse assim. mas eu consigo me virar escrevendo dicas e tutoriais.:D
Sucesso com o blog!

M.B. disse...

Ao invés de uma gavete, tenho uma caixa onde estão registrados tantos destes momentos que contam historias distantes e distintas.
E quando me perco nestes momentos de reviver as coisas passadas me pergunto quantos do pilares erguidos em nome da amizade, ou do que quer que tenha acontecido, se mantém firmes, e quantos que diziam-se inabalados ja não estão em ruinas.

Loverocklive disse...

As vezes procuramos as respostas, mas nem sabemos ao certo as perguntas.

Gostei do seu texto.

abraços

Dono BAJ Séries disse...

parabéns, mto bom
facilidade com as palavras é teu forte mesmo

http://www.bajseries.cz.cc/